Leila

Eu sempre ouvi falar que o que é bom é pra ser visto. Então não perdi meu tempo e olhei pra valer! Como se fosse a última garota do mundo. Sentado no balcão, assistia de tudo um pouco desde a chegada dela; sua risada tímida, seus disfarces e a linda mania de arrumar as mechas constantemente. “Mas o que será que ela deve estar pensando?”, questionei a mim mesmo. “Quer uma dica? Melhor se preocupar com aquilo que ela ainda não pensou. Motive-a! Faça com que ela imagine além do óbvio!“, respondeu Leila, a demoníaca voz da minha consciência. E ela não parou por ai;

– Ah, mais uma dica: continue olhando, baby. Insista… encare mesmo! Espere o sinal de retribuição e torça pra que ele seja positivo. Ela é bonita demais, são poucos os que possuem coragem de segurar esse foco, a maioria dos homens hoje em dia se desviam das trocas de olhares e saem correndo. – Sussurrou Leila.

– Ok! – Consenti comigo mesmo, de uma forma um tanto anormal, claro – Você está certa! Afinal de contas, eu não tenho nada a perder!

E Leila parecia mesmo certíssima, como sempre. Precisei apenas de dois minutos, entre o fim da música do Lulu Santos e o começo da canção de Djavan. Assim que o cantor do bar concluiu mais uma bela canção, ele acenou para o garçom, parecia querer um copo d’agua. Em meio ao silêncio, as vozes e risadas ocuparam o ambiente. A casa estava lotada, era sábado à noite, a cidade é boemia e os bares atraem os fãs de músicas ao vivo. Entre a cerveja e o fim das palmas ao cantor, voltei a olhar para a mesa 08, onde a ruiva estava sentada com mais duas amigas. Para minha tão esperada surpresa, ela também estava de lá, retribuindo meus sinais evidentes. Mirava minhas cenas de falso distraído, comentava alguma coisa para as amigas que também me devoravam com os olhos. Fosse este, talvez, o sinal da qual Leila falara.

Continue lendo “Leila”

Abraço anual

tumblr_meu0gyvwli1rh1wv4o1_500

 

Olá!

Se você está lendo isso, é provável que sejas um dos nossos seguidores diretos. Esse texto nasceu com o único intuito de agradece-lo justamente por isso. Então, por favor, conceda-me alguns minutos do seu dia. O que tenho para falar é importante para nós.

Dias atrás, nosso blog completou um ano de existência. Quando criei o Prosas, não imaginei que a coisa toda vingasse desse jeito. Numa maneira crua de dizer, esse blog nada mais é do que a reunião de pensamentos entre escritores juvenis distintos que estão por ai, espalhados, por todos os cantos do país.

Sim! É isso mesmo. Além de mim, há mais dois cariocas, uma mineira e dois baianos. Nós rapidamente chegamos a um consenso de que, para seguir com o blog, não precisaríamos bolar uma espécie de escritório oficial, distribuindo temas e histórias para cada um, fazendo das publicações uma forma de trabalho.

Optamos pelo mais simples lema… “Vamos escrever, quando a inspiração bater!” – Essa foi a ordem do negócio. O que deu ao Prosas e Café essa cara de diário, é o fato de que ele realmente é um diário; possui essa alma desde o início. E graças a Deus, encontramos um público educado, inteligente e parceiro que nos retribuiu com todo carinho do Mundo no decorrer desse processo.

Para nós, que estamos iniciando nesse mundo agora, confesso que ainda existem muitas coisas disponíveis para serem aprendidas. No WordPress, a quantidade de blogs excelentes é enorme. Verdadeiramente é um mundo de letras bem extenso. Só o tempo nos dará toda cautela, valor, profissionalismo e conhecimento suficientes. Como tudo na vida a primazia chega de forma gradativa, e temos isso em mente.

Durante toda a nossa caminhada, sempre separaremos um momento de agradecimento em memória de todos vocês, colaboradores, por tudo que fizeram e que continuam fazendo.

Nos sentimos abraçados, pra valer! Obrigado pelo carinho. E a melhor forma da equipe do Prosas agradecer é escrever, cada vez mais, textos melhores.

Aos nossos 196 digníssimos seguidores, desejo um bom dia e um ótimo fim de semana!

Até a próxima!

Codinome: Duda

Peço perdão aos pais, professores, livros de autoajuda e aos amigos conselheiros de forma geral, pois, infelizmente, apesar das lindas, confortantes e inteligentes palavras e suas teorias, existem lições da vida que são absorvidas apenas na prática. Às vezes de maneira doce, as vezes salgada. Nesse caso em especial, tive que sentir na pele o que nenhum grau de temperança foi capaz de deter: aprendi, pelo método mais doloroso, que a saudade é um sentimento que por si só já machuca. Contudo costuma doer ainda mais quando se sente a falta daqueles que amamos… aliás, depois de certas experiências vividas, conclui que só existem estilhaços de saudade – no sentido cru da coisa – nos corações em que, outrora, predominou o amor.

Continue lendo “Codinome: Duda”

Porque homens também podem voar.

999621_599653723428359_1912905626_n.jpg
 
Tantas caras sorridentes em um único espaço de tela colorida, um dia chuvoso e os mesmos sorrisos se estampam. Nunca gostei de ´´mi, mi, mi`, mas o Facebook me lembra aqueles gramados verdinhos da classe média americana, a família pode estar em guerra, traição, divorcio, drogas, câncer, mas o gramado? Perfeito, e as cercas sempre branquinhas como um diploma, certificado de felicidade alheia.
A hipocrisia é a lei da selva, e que vença o mais covarde. Mas eu não sou covarde nem de plastico. Felicidade mesmo é olhar, cheio de lágrimas, no fundo dos olhos de alguém e esboçar um sorriso por saber que essa pessoa não está omissa ao seu pranto e se entristece com você, felicidade é cair tantas vezes for preciso só pra chegar um pouquinho mais perto dos seus sonhos. Vamos sonhar, em vez de jogar sempre as mesmas cartas, acreditar que o céu pode ser mais azul amanhã do que é hoje. Perder o medo de alcançar o Sol, mesmo que o nosso castigo seja o mesmo de Ícaro. Que seja! Mas eu vi a luz mais pura e isso nem a morte tirará de mim.

Conservando o que deveria esquecer

large

Pecado é provocar desejo e depois renunciar – Música: Soul Parsifal, Legião Urbana

 

07 de dezembro de 1998 – Cascavel, Paraná; Brasil.

Hélio sabia que se não fizesse muita coisa acabaria perdendo a mulher amada. Ou melhor, a garota amada. Patrícia ainda é nova, tem apenas 18 anos. Ele, já com 26, tinha noção de que sentimentos não são eternos, diferente do que diz a crença popular. Acreditava que o verdadeiro amor tem prazo de validade, uma vez retribuído ele é fortificado a cada palavra, momento e encontro vivido. Sendo necessário, de tempos em tempos, renovar tamanho sentimento, ao contrário ele é completamente apagado, como chamas de fogo em ramos secos, ou como os próprios ramos que, outrora, eram verdes e vívidos.

Continue lendo “Conservando o que deveria esquecer”

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: