A letra depois do Z

Ei!

Eu li sua última carta e ainda me surpreende o modo como me conheces tão bem;
Você é dissimulado, porém eu vejo o homem por trás desse olhar vazio. As dores, os conflitos, os problemas, as brigas, as quedas e os traumas da vida, te forçaram a modelar camadas e mais camadas de personalidades que escondem seu verdadeiro Eu“. Ual! isso foi profundo. Provavelmente a coisa mais franca que já li sobre mim mesmo. Eu não sei quantas vezes lhe pedi para darmos um basta nisso; nessa espécie melancólica de amor, onde a gente não transa, mas também não sai da cama. Eu não tenho você e você não tem a mim. E só gastamos o nosso tempo as escondidas um com o outro porque no fundo sabemos que somos feitos um para o outro. Embora seja tão difícil confessar isso sem trazer, junto as palavras, uma avalanche inteira de sentimentos ora arbitrários, ora essenciais. Um problema que, se não existisse, nos tornaria livres para mergulhar naquilo que a literatura chama de felicidade.

Continue lendo “A letra depois do Z”

Anúncios

Rotina

Rotina

Hoje foi mais um dia daqueles: as mesmas pessoas, as mesmas coisas, os mesmos lugares…, enfim, a mesma rotina insuportável de sempre. Pergunto-me até quando minha vida se resumirá a essa monotonia. E o pior é saber que não sei a resposta para esse questionamento. Alguém saberia me informar, por favor?

Tenho muita inveja dessas pessoas que saem por aí sem destino, se desdobrando em loucas aventuras. Esses “tipinhos” demonstram ser tão felizes, né?! Não estão nem um pouco se importando para as obrigações do dia a dia. Apenas querem aproveitar a vida da melhor maneira possível.

Deve ser maravilhoso viajar a lugares que não estivemos antes, conhecer novas pessoas, provar comidas típicas de outras regiões, contemplar outras culturas… Resumindo, deve ser muito bom respirar novos ares. O modo automático que se encontra o meu viver está me sufocando. Anseio desesperadamente por uma oportunidade de fugir dessa mesmice, mas não tenho encontrado saída. Será que existe alguma saída?

Ultimamente tenho vivido com o pé na realidade e o pensamento vagueando em sonhos. Sonhos tão distantes… Porém, chega um momento que cansamos de sonhar, de imaginar como tudo poderia ter sido diferente. Gostaria muito que minha atual situação sofresse uma reviravolta, e finalmente eu fosse feliz da maneira que eu sempre sonhei. Longe de tudo que não me apraz, longe de tudo que me sufoca, longe de toda essa rotina. Algum dia isso aconteça, quem sabe…

por cada canto

tem um pouco de você por cada canto daqui. olha, para cada parede cinza aqui no bairro existem dez coloridas. tem um pouco de você por cada canto daqui. para cada olhar triste que encontro existem cinco ou mais olhares de brilho intenso. eu já disse que tem um pouco de você por cada canto daqui? é, tem um pouco de você por cada canto daqui.

se chove, te enxergo fazendo café. cafuné. lembro de você cantando. se ouço aquela música triste, imagino você dançando ao som de violinos. tem um pouco de você por cada canto daqui. tem um pouco de você naquele grafite no muro da escola. um pouco de você no prédio onde moro. um pouco de você nas pinturas daquele cara que tava expondo na rua. um pouco de você nas pinturas daquele cara que tava em exposição na galeria. um pouco de você nas páginas daquele livro que li dias atrás. um pouco de você naquela música que ouvi ontem. é, tem um pouco de você por cada canto daqui. por cada canto de mim.

Mancebo

Eu juro que perderei alguns dias buscando entender como a calcinha dela foi parar no ventilador de teto. Ou como minha bermuda jeans terminou rasgada. Ou como chegamos até a minha cama se eu perdi as chaves fazendo uma dancinha ridícula na chuva. Bem, ainda não consigo processar as melhores partes. Acordei sem uma parcela da minha memória, mas com um belo sorriso no rosto. No universo masculino, isso já diz tudo. Preciso ajustar a coluna, porém ela está cochilando sobre a minha barriga. Aprecio com todo carinho do mundo; jamais acordaria um anjo desses. Permaneço como estou por horas, assisto o clarear do dia transpassar a janela, estalo o pescoço, coço os olhos. Tem uma marca de batom no meu calcanhar, meu peito está arranhado e meu bafo cheira a hidratante de pele. Estou confuso, estou feliz. Uma lástima, um paraíso.

Continue lendo “Mancebo”

Que pensas mulher que dói tua partida.

Ei Emile,

Resolvo responder a tua carta, pela última vez… São quase nove horas da noite, uma noite fria atípica de março, são as águas de março, mas sem promessas ou esperanças. Nas ruas não há nada inspirador, tudo passa o ar de feiura e utilitarismo que não é capaz de dar respostas para ninguém. Continue lendo “Que pensas mulher que dói tua partida.”

Te digo a história desses dias anormais

Campos do Jordão, 2019

 

De imediato o doce frio de junho toma a minha pele parda quando abro parcialmente a porta, suspiro lentamente como um beijo suave a brisa que vem sobre mim enquanto a fumaça de meu café amargo desenha sombras engraçadas no ar. É tudo momento, é tudo um instante, viver é perceber: não podemos fugir do agora, esse é o pensamento que canta em minha cabeça a alguns dias quando começo ficar pensando demais em coisas que não tenho domínio, o presente sempre será perene em qualquer momento de nossas vidas. Até as lembranças tomam vida e cor quando a temos novamente, as emoções fazem com que sentimos o gostinho outra vez, seja ele azeda como o limão ou doce como mel, tome cuidado!! Continue lendo “Te digo a história desses dias anormais”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: