Pássaro azul

Retirei a maldita máscara assim que chegou,
O pássaro azul Bukowski logo cantou,
Mas percebi seu desprezo por mim,
E isso grita mais do que uma dor.

Na madrugada anterior tive um sonho,
Eu estava escrevendo para ti um novo poema,
Cada palavra sinestesia tinha um leve sabor,
E isso fere mais do que uma dor.
Paixão essa flor intermitente,
Que nasce na alma dos fracos,
Mata e fere sem pudor, parece facada!
E isso agoniza como uma uma dor.

Um dia tento compor algo descente,
De rimas e métrica e juízo, nada melancólico,
Por mais que tento não consigo,
E isso dura mais do que uma dor.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: