Carta de alguém cercado pela escuridão

 

Oi,
Já passa do meio-dia, mas esse dia nublado, cinzento faz com que pareça ser mais cedo. Como você tem estado? Não precisa me responder, pode responder pra si apenas. Sabe, eu tenho estado meio que sentindo nada e tudo ao mesmo tempo. Hoje amanheci meio que anestesiada, meio que querendo fazer tanta coisa, mas ainda assim me sentindo presa, entende? Não faz mal que não entenda nem eu estou a entender direito.


Tantas incertezas, tantas dúvidas… já se sentiu mergulhada em um mar de nada? Estou agora sentada em minha cama com os fones no ouvido e lá fora chove. Observo da janela do quarto as gotas que caem ao chão, estou feliz e triste ao mesmo tempo – é possível?!


O que devo fazer? É isso, essa pergunta que tem me tomado nos últimos meses. É péssimo se sentir perdida, sem rumo. É horrível sentir-se imersa na escuridão. Quem tá lá fora nem sempre enxerga a escuridão que tá aqui dentro.


Sabe, hoje eu estava a ler naquele corredor escuro da universidade, mas eu estava tão acostumada com a escuridão que nem me dei conta. Alguém passou e acendeu as luzes. Eu estava a ler um livro da Ana C., e algo que li e ficou martelando na minha cabeça foi “e na ausência de luz alguém está morrendo sozinho”. Eu fiquei relendo isso por inúmeras vezes e fiquei pensando na mulher que acendeu as luzes; fiquei a pensar na escuridão; no meu hábito de ter sempre a escuridão comigo e nem perceber… Às vezes pra sair da escuridão alguém tem que acender as luzes para que você se dê conta da merda que tá fazendo e do quanto está se desgastando. Sabe aquela coisa de que ninguém pode fazer as coisas por você, mas podem te ajudar a seguir um caminho e tal? É isso. Aquele acender da luzes me fez enxergar além de todos os problemas pelos quais estou a passar e que me fazem ter vontade de desaparecer.


Eu sei que assim como eu você também tem vontade de desaparecer, virar fumaça e não existir mais… estranho seria se você não desejasse isso. Nesse mundo maluco tá todo mundo querendo sumir. Apesar de tudo – as derrotas, os fracassos, as dúvidas, a vontade de sumir – eu tô tentando me reerguer. O temporal que me atingiu foi devastador, mas eu meio que tô morrendo e renascendo, entende? A gente vai sair do fundo do poço fica tranquilo. Logo essa tempestade que também te atinge vai passar.

 

Acho que por enquanto é isso.

Anúncios

2 comentários em “Carta de alguém cercado pela escuridão

Adicione o seu

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: