Lobisomens Juvenis

Ouço o assunto dos homens que estão na academia. Eles malham porque querem chamar atenção das mulheres. Vejo o papo dos rapazes que pretendem tocar violão, eles querem o mundo da música porque ela atrai a companhia das mulheres. Sinto os parceiros de trabalho, eles juntam uma boa grana para invadir as baladas de fim de semana, planejam conhecer garotas novas. Até a galera que estuda para passar nos concursos militares… Quase todos os que sonham em entrar na Marinha, por exemplo, escolhem o Nordeste como destino. O motivo? As nordestinas de plantão. Praticamente todas as coisas que os homens fazem na juventude são para atrair alguém do sexo oposto. Isso está no DNA masculino. O creme de barbear e os filtros do Instagram são as únicas coisas que nos diferem dos pré-históricos.

Quando era um moleque, tinha o costume de realizar diversas análises de comportamento. Curtia esse lance de traçar perfis femininos. Descobrir gostos, defeitos, atrativos e segredos era mais do que um simples passatempo. Foi o método que encontrei de aparentar mais experiência na companhia delas e, assim – como todos os demais rapazes – conseguir atrai-las. Eu buscava compreender o funcionamento da mente feminina, imaginava que o algoritmo era tão simples quanto o masculino. Perdi muito tempo nesse lance até que cai na real; não existe um padrão, uma singularidade. Pelo menos não em grande escala como acontece com os homens. As mulheres são loucas (no bom sentido da coisa), são completamente imprevisíveis. Começam com uma preferência – um livro, uma atividade, um corte de cabelo, uma banda nova. De repente mudam tudo! Das ideologias pessoais, até a tonalidade das maquiagens. Sequer é necessário um motivo astronômico que cause tantas alterações no estilo de vida, qualquer coisinha já está valendo. E por conta disso, sempre morri na praia. Cresci um tanto decepcionado, deduzi que teria sido mais vantajoso ter escolhido a modinha de aprender violão.

Como fã da saga Crepúsculo, minha irmã assistiu todos os filmes da série. A história da americana deprê que conhece um vampiro com idade para ser seu bisavô, serve de atestado para todo raciocínio desse texto. Entre o lobisomem e o chupador de pescoços, ela escolhe o morcego. E olha que o homem-lobo é um pouco daquilo que todo cara pretende ser hoje em dia; corpo sarado, sorriso bonito, corte de cabelo afiado, boa lábia, carro na garagem. Todavia contrariando todas as expectativas e palpites, a protagonista escolhe o vampiro. Um rapaz de aparência anêmica, que fala pouco e corre muito, se veste mal, tem o costume de ser ausente e a coloca diariamente em centenas de situações perigosas. Pro azar do lobisomem, o coração dela está com o outro – o cara de poucos atrativos. Já deu pra sentir que até em meio ao senso comum, a lógica do negócio é não haver lógica alguma.

Passei a obter mais experiências positivas com as garotas quando deixei meu hobby de lado e adotei o princípio lobisomem juvenil, cantado por Renato Russo: fazendo de todo dia o dia mais importante. Sem planejamento, sem táticas de sedução ou encantamento. Investindo em mim mesmo, sendo original. Bacana é saber que funcionou! No planeta onde todos estão tentando ser idênticos uns aos outros, ser original é, ironicamente, ser diferente.

Com a noite de sábado se aproximando, centenas de mulheres saem para dançar. Algumas não ficam só na dança, querem conhecer também alguém interessante. Graças a imprevisibilidade do gênero dessa segunda classe de princesas, não podemos dizer ao certo o que elas procuram nos boys. A coisa varia muito de uma pra outra, de acordo com o caráter e o nível de álcool. Entretanto o tempo que passei observando as garotas, deixou também alguns ensinamentos. E afirmo categoricamente que as melhores moças são seletivas! Não ficam com qualquer um. Elas são atraídas pelos caras de personalidade forte, de convicções definidas, pulso firme e excentricidade na dose certa. Acredito que aquele vampirinho tinha um pouco de tudo isso.

Enquanto assistia o papo, pensei em entrar nesse assunto e repassar algumas dicas aos parceiros de trabalho que gastam suas economias no fim de semana. Queria explicar o quanto eles precisavam evoluir a si mesmos para encontrar alguém legal. Contudo um deles sacou o celular e chamou o bando para assistir um vídeo pornô. Nesse momento, sai para buscar um pouco de café e poder contemplar, de longe, o espírito das cavernas pré-históricas ativado como sempre…

2 comentários em “Lobisomens Juvenis

Adicione o seu

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: