Continue a remar

Você já foi até o fim do túnel e não encontrou nenhuma luz por lá? Se não foi, ótimo. Mas se foi, o que você fez? Tá bem treinada / treinado pra andar no escuro? Eu sou um desastre e geralmente saio derrubando tudo.

Este poderia ser um texto incrível, uma história bacana de alguém que sabe muito bem lidar com as situações, uma superação, algo inacreditável e com um final feliz. Mas não é. É sobre alguém que é caos, é sobre coisas tão simples que causam um estrago enorme. Eu achava que sabia lidar com os problemas, mas eu descobri que não. Eu não sei. Nunca soube. Sabe qual é minha tática pra “enfrentar” as adversidades? Desistir. Sim, desistir, fugir… enfim. Chutar o balde antes mesmo das coisas começarem.


Eu percebi que dessa forma jamais chegaria à lugar algum. Ótimo! Resolvi enfrentar de verdade, ficar e desistir apenas quando todas as possibilidades estivessem esgotadas. Mas isso cansa pra caramba, e tudo que eu queria em algumas situações era apenas atracar em um cais seguro e não sair de lá por um bom tempo. Só queria fugir um pouco das tempestades (mal uma termina começa outra). Não queria estar em alto mar quando elas viessem. Quem nunca quis isso? Mas às vezes acho que isso seria meio que estar morta. Abandonar o barco ou esconder-se é sair do jogo. Então, insisto mais um pouco e continuo a navegar. Entre um balanço e outro penso em desistir de novo, mas aí o mar se acalma… e assim vai. Até que chega uma hora que eu queria mesmo estar fora do jogo…

Minhas tempestades parecem tão simples. Nossas tempestades parecem simples. Muitas vezes é a mudança pra casa nova. Aquela briga com seus pais. A discussão com seus irmãos. A falta de grana. As contas pra pagar. O trabalho chato. A falta de trabalho. O chefe chato. O projeto que não deu certo. As pessoas te obrigando a fazer coisas. Seus pais te tratando como criança. O câncer da sua avó. A doença da sua tia. O turbilhão de trabalhos da faculdade. A vontade de ficar na cama o dia inteiro. A tristeza, o desânimo que chegam de repente. O novo dia que tá pra começar. As mesmas coisas prestes a acontecer… Infinitas coisas que eu / você não teria palavras para descrever. Quais são as suas tempestades?

Bem, eu ainda não consegui fugir das minhas tempestades. Aonde eu vou elas me seguem. Eu ainda tô no jogo (espero que por muito tempo), e a menos que não dê game over, eu vou continuar a remar. Meu barco continua em alto mar e só posso dizer pra nós continuarmos remando, uma hora ou outra o mar acalma. Recupera o fôlego, e continue a remar.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: