Mentiras e mais mentiras

Relações mentirosas

antes-levar.jpg

‘’Sexo verbal não faz meu estilo
Palavras são erros, e os erros são seus
Não quero lembrar que eu erro também
Um dia pretendo tentar descobrir
Porque é mais forte quem sabe mentir
Não quero lembrar que eu minto também’’.

Renato Russo

A vivência pessoal contribui muito para o que definimos semanticamente por sabedoria, não é o que essencialmente vai ser pré-requisito para tal, mas pode servir como uma vitamina para a sapiência, ou seja, um auxílio fundamental. É fácil de constatar que existem pessoas velhas que se comportam como completos patifes imaturos e que certamente vão terminar suas vidas assim, e há pessoas novas que detém um comportamento honroso e lógico desde cedo, mas cada caso é um caso não cabe uma generalização textual, pois jovens sábios no mundo de hoje é uma exceção, infelizmente. Aliás, jovens com bom senso são uma exceção, que dirá jovens sábios. As experiências da vida podem ajudar a trazer soluções que resolvem dilemas simples; deslizes tão tolos que muitas vezes passa facilmente, desprevenido em nosso cotidiano, e que nos causam desapontamento constantemente ao vermos nossos anseios frustrados.

Os estudos da Filosofia também podem conceder gratuitamente um norte para pessoas apressadas, no entanto, o estudo é um claustro, e pode muitas vezes trazer mais dúvidas do que soluções. Desde cedo me dedico ao estudo do comportamento humano, é algo particular meu, gosto de refletir sobre as relações dos seres humanos. Mas não sou um João de aço sem sentimentos, mas procuro não ser uma pessoa melosa e sentimentalista, coloco outras virtudes em predomínio a cada dia, mas cada um é cada um. Faça o que você bem entender de sua vida, caro leitor. Meus conselhos podem te ajudar, mas quem manda em sua consciência é alguém que você está a cada segundo sem cessar, você mesmo!

Qual é mais eficiente?  Vivências ou estudos para resolver os problemas pessoas? O meu lado de astro físico tende a responder que vai depender do referencial. O meu lado humanas diz que é uma evolução pessoal que não segue a risca padrões de ordem antecipadamente elaborados. Os dois lados estão certos.

A brincadeira de perambular em parágrafos dissonantes acabou! Agora vou adentrar de vez ao tema, você deve está se perguntando: Que cara é esse que demora séculos para entrar no desenvolvimento dos pontos centrais do texto? Mais pra frente você irá entender. Acalme-se ser humano!  Dei essa enrola para não odiarem esse texto que irei fazer, pois vou acabar chutando o balde e não poderei apelar para dizer que esse texto é passível de interpretações diversas, já que direi com todas as palavras ideias que estão penduradas dentro desse cérebro há alguns dias. Palavras são códigos culturalmente criados para simbolizar algo sabia? Ao decorrer do texto deixei palavras chaves como: Vivência, estudo, mentiras, consciência, comportamento humano, sentimentalista etc…   Eu vim trazer uma abordagem inerente aos relacionamentos humanos.  Tenho notado que as relações humanas tem se esfriado cada vez mais; tornando-se covil para estereótipos, imediatismo precoce e superficialidades. E porque não dizer pra mentiras também?

A mente humana geralmente é especialista em criar ficções, após sofrer irrigações de bombas hormonais, geralmente manifesta algumas coisas em nosso comportamento. Ficamos tolos e sem o domínio da razão, idealizando alguém perfeito e enxergando perfeição em alguém. Arthur Schopenhauer acusaria isso de artimanha da natureza para a perpetuação da espécie. Platão por outro lado, não contradizendo Arthur, diria que a paixão que sentimos é uma doença.

Eu não tenho uma visão determinista, creio que há um conjunto de fatores que irá ocasionar a paixão, e não só um, e muito mais fatores que ficarão de consequências. Mas infelizmente a paixão é uma deturpação do sublime Amor. A paixão tem data de validade. Isso é coisa para outro texto, pois agora vou tentar mostrar em uma situação vivida os conceitos que quero que vocês reflitam. No entanto, a situação abaixo é mais falta de caráter mesmo do que uma mera paixão que em vez em quando aflora:

Por acaso encontrei um conhecido de colégio em minhas andanças prediletas em Vitória da Conquista, anos após de termos estudado no início do Ensino médio. Como gosto de manter contato, resolvi adicionar o rapaz nas Redes Sociais. Lembrei que ele tinha me dito nessa conversação que tivemos no estádio que começou a ‘’pegar’’ uma menina á algumas semanas e perguntou se eu conhecia a garota, e que tinha conhecido a menina por intermédio de uma colega que ele também já ‘’pegou’’, não fazia dois meses que ele conhecia a recente ‘’pegada’’ segundo ele.  Um dia depois o rapaz havia aceitado minha solicitação, e vi logo lá estampado no perfil do cara: ‘’ Em um relacionamento sério com fulaninha’’. E fui ver as publicações do ‘’camarada’’, declarações de amor eterno a uma guria que ele conhecia e menos de três meses, e a dita-cuja respondia a altura com frases de Camões e Fernando Abreu. Como não possuo retardo mental, constatei que isso era uma frenesi inconstante, mas o problema não é meu, quero distância desses relacionamentos artificiais caça-likes. Ele que se vire para lá com seus problemas particulares.  Na outra semana estava eu lá novamente no estádio esperando mais um jogo de futebol amador começar. E adivinha quem eu encontro? Esse cara. Dou apenas Bom dia e pergunto se tá tudo bem para ser educado. Ele disse-me que estava tudo ‘’blz’’. E perguntou-me aonde eu ia me sentar, que ele queria conversar comigo.  Sentei lá embaixo, e comecei a conversar com a cara para ser cordial, mas não estava dando muita intimidade no papo. Ele me perguntou se eu ainda estava treinando e correndo em uma ciclovia daqui, respondi que não, que estava em recuperação física, e realmente estou. Logo em seguida ele disse-me: Você se lembra daquela garota que falei pra tu aquele dia? Não querendo muita conversa íntima, falei que não me recordava. Aí ele insistindo nesse papo me disse que havia largado essa menina, pois ela não prestava segundo a concepção dele.  Eu já sabia o desfecho dessa história, mas não sabia que seria tão rápido assim.

Isso é que dá quando as pessoas tentam criar um falso amor, baseado em aparências. No fundo há duas pessoas solitárias que querem impressionar o círculo social. Como se esse comportamento imoral fosse algo a ser aplaudido e copiado. Infelizmente casos como esses não é exceção em boa parte da juventude que nasceu anos 90 pra cá.  Esse ideal de criar um relacionamento perfeito está condenado ao fracasso. É necessário conhecer muito bem as pessoas antes de começarmos a pensar em nos relacionar com ela. Por isso deixo um conselho a você caro leitor. Que viva sua vida, e evolua como ser humano, que possa ser alguém que venha a acrescentar na vida dos outros e não alguém que vem para ser mais um, entre a multidão que vive em histeria coletiva dessa geração leite com pera.

“Será que os habitantes de nosso líquido mundo moderno… preocupados com uma coisa e falando de outra? Eles garantem que seu desejo, paixão, objetivo ou sonho é “relacionar-se”. Mas será que na verdade não estão preocupados principalmente em evitar que suas relações acabem congeladas e coaguladas? Estão mesmo procurando relacionamentos duradouros, como dizem, ou seu maior desejo é que eles sejam leves e frouxos, de tal modo que, como as riquezas de Richard Baxter, que “cairiam sobre os ombros como um manto leve”, possam “ser postos de lado a qualquer momento”? Afinal, que tipo de conselho eles querem de verdade: como estabelecer um relacionamento ou – só por precaução – como rompê-lo sem dor e com a consciência limpa? Não há uma resposta fácil a essa pergunta, embora ela precise ser respondida e vá continuar sendo feita, à medida que os habitantes do líquido mundo moderno seguirem sofrendo sob o peso esmagador da mais ambivalente entre as muitas tarefas com que se defrontam no dia-a-dia.

(De “Amor Líquido Sobre a fragilidade dos laços humanos” Zygmunt Bauman … pg 11) 

 

Até mais seus cafeeiros prosadores!

5 comentários em “Mentiras e mais mentiras

Adicione o seu

  1. Muito bom!
    Muitos acreditam que é o amor que cresce, mas é o conhecimento que cresce, e o amor é simplesmente se expande para conte-lo. O amor é simplesmente a pele do conhecimento.
    A cabana.
    (Esse livro é muito bom!)

    Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: