Dia dos namorados

2dc1d745bd13baf7f9bf106c0fa3871c.jpg

 

 

Esqueça as desculpas pessimistas de que tudo isso não passa de uma data comercial. Comerciais podem ser feitos com qualquer coisa, até com simples aniversários. Dê três informações sobre sua vida, uma bela quantia em dinheiro e uma revista de horóscopos ao dono da casa de telemensagens e lhe garanto que haverá um mega comercial sobre você no portão, mesmo que jamais mereças tanto.

Por mais que a infelicidade esteja na moda atualmente, junto a todas as brincadeiras que se fazem na internet com a solidão e a melancolia, não existe vontade nem orgulho de se estar solteiro que dê dentro com o poder do amor.

E… já que chegamos ao tão badalado sentimento, nada melhor do que falar um pouco mais dele, sobre ele e para ele. Afinal, dizem que hoje é um dos dias do amor. Todavia acredito que na prática, o amor não possui um dia específico. E aqui, não quero entrar naquela falha filosofia de que “todos os dias são comemorativos”, como fazem com o dia das mães, por exemplo. Quando digo que o amor não possui dia específico, é porque 24 horas não são capazes de trabalhar, exemplificar e louvar tal sentimento, muito menos todos os indecifráveis efeitos causados por ele.
O amor pode estar em poucos minutos, ou quem sabe em uma hora. As vezes está numa música, num vídeo, numa montagem de fotos, numa jogada de jaqueta na poça de lama, num canto desafinado. Está numa carta quilométrica, num curto status de whatsapp. No áudio humilde e carente, ou talvez no trecho do rodapé do livro. Sábio é quem compreende que o amor é pra ser sentido e não medido.

Em outras palavras: o amor é absurdo, tanto quanto Deus, seu criador.

Na cultura judaica, um dia da semana é separado e santificado para adoração e reverência ao Eterno. Tolo é quem pensa que essa atitude visa encaixar Deus num único dia, muito pelo contrário, para este povo, Deus está em tudo; em todos os dias, em todos os segundos, a cada bom ato, a cada instante. A separação de um dia é um exclusivo método de agradecimento simbólico de seres que sequer possuem capacidade física e moral para engrandece-lo.
Que tal se usássemos a mesma tratativa com o amor? Tanto o amor para com o próximo, quanto para o mundo, quanto para a pessoa amada?

 

Vai por mim, não existiriam comerciais com efeitos mais poderosos do que o resultado disso. Nem mesmo telemensagens…

2 comentários em “Dia dos namorados

Adicione o seu

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: