Passos, compassos e desvios

Seriados

Não há luz…

Odeio câmeras…

E… Ação!

Olá! Sinto muito por ter demorado tanto a lhe escrever…

Hoje Eu tirei o dia para revirar algumas das pendências que tenho pela casa, no meio de tanta bagunça, acabei encontrando um velho DVD, título do qual não havia assistido por traumas particulares. O filme era uma comédia romântica e por mais louco que possa parecer, muitas pessoas acreditam que, se tratando de cinema, a classe de filmes considerada mais próxima da realidade é, sem dúvidas, a boa e velha comédia romântica. Ganhando até mesmo das obras baseadas em fatos reais ou das tramas históricas. Possivelmente pela camada de entretenimento apresentados nos filmes, até porque de tantas características que podem elevar a moral de uma ficção, boa parte das pessoas concordam que um enredo considerado bom é aquele que toca os corações dos telespectadores. Ninguém precisa ser crítico de cinema ou jurado de premiações hollywoodianas para saber disso.



Sabe de uma coisa, quando flertávamos, juro que nunca havia visto as coisas por este lado, mas meu inconsciente perspicaz catou a chance que teve; Já não lembro se foram duas, três, cinco ou dez conversas, recordo-me apenas de que, num belo dia, tomei vergonha na cara e te chamei para sair. Convidei-lhe para ir ao cinema, justamente para assistir uma comédia romântica (a mesma da qual estou prestes a assistir), na época você não negou, mas também não aceitou. Preferiu uma desculpa idiota sem cabimento o que é considerado pior do que o próprio “não” ao convite. Só que Eu não desisti de primeira, mesmo sem consideração ou expectativa alguma para continuar tentando; melhorei as palavras, as roupas, as piadas e até o jeito do agir – desejava sua atenção! Atenção daquela que não precisou mover um músculo pra conquistar meu coração. Bem… Não adiantou! Você ignorou, se desfez, facilitou as chances para tantos outros que mereciam bem menos, e até mesmo para alguns outros que nunca mereceram nada. Eu sofri… Calado é claro! Ninguém precisava saber. O foco, o objetivo e tudo aquilo que bastava era esquecer que um dia gostei de você, sensação da qual não podia controlar ou medir. Assim o fiz! E foi assim que finalmente lhe esqueci.

Só que nada é tão fácil, tudo não passou de processos gradativos e eloquentes. O início foi semelhante a uma noite longa e fria de inverno, com tantas sensações dignas dos filmes de terror. Mas depois que o tempo passou, as provas que faltavam começaram a chegar: A vida foi me apresentando todos os benefícios da superação, como um belo amanhecer de entrada na primavera, com o sol radiando e transformando tudo ao redor, espantando de vez todas as assombrações e nuvens negras. Logo as sombras se foram e as dores passaram, demorou, contudo surgiram novos caminhos na minha vida. O recomeço trouxe algumas pessoas, lugares, conhecimentos, sorrisos, situações e momentos inéditos dos quais já não esperava mais tê-los. Logo aquele filme de terror tinha até então tudo para ficar de vez no passado, Eu poderia voltar a usufruir dos dias como quem vive numa boa e velha comédia, afinal solitários também dão risadas. Eu disse que ”tinha”, até você reaparecer, deixando tão claro nas entrelinhas que já fazia parte dos seus planos caminhar ao meu lado um dia. Quando você retornou e resolveu ficar comigo, o medo inicial foi a de que todas as nuvens que encobriram o céu e o vazio que minha alma destruiu com tanto ardor, retornassem aos cantos do meu peito. Não posso mentir: Eu sempre amei você e sempre irei ama-la. Esquece-la nunca foi uma opção, foi apenas um exercício que fiz para tentar seguir a vida sem deixar de ser feliz. Não é lá a atitude mais louvável do Mundo, porém nunca fiz nada mesmo que merecesse medalhas e méritos gratuitos.

E agora os dias passam sem nem mais cobrar atitudes do meu frágil coração. Ama-la é um veneno! Veneno do qual resisti e sobrevivi, porém tirou-me de combate, sendo obrigado a me “aposentar”, deixando de lado todo universo das relações pessoais. Hoje acordo tarde, perco conduções e o tempo no chuveiro. Ora azarando outras coitadas infectadas pelo mesmo pessimismo, ora sozinho vendo os pensamentos subindo pelas paredes do quarto, como insetos perdidos. Na minha agenda habitual, lhe encontro uma vez ou outra, tão somente para exercermos nossas funções sociais. Antes – quando corria atrás de você – era normal de sua parte me encarar com um típico nefasto olhar, como quem entendesse o que Eu sentia, porém tinha pena por não conseguir retribuir. Eu não a culpava, a vida possui um pouco disso, juntamente a tantos outros componentes desesperadores, saber que alguém lhe deseja não significa exatamente que aquele sentimento nascerá em ti do dia pra noite, pode ou não acontecer, tudo é sempre um risco. Isso é o resumo de todas as tristezas, sendo também o prefácio de todas as outras. Você é uma garota incrível, só que nunca gostou de mim, contudo atualmente trocamos olhares de maneiras mais fixas. As coisas se inverteram quando consegui superar, agora sinto que possuis esperança, é visivelmente notório. Só que seus sentimentos chegaram tarde, agora eu já lhe esqueci. Tudo que sinto é indiferença.  O tempo trocou os nossos corações, pagaremos pelos nossos pecados, sentindo o que o oposto carregava no passado.

No fim, acabei não assistindo a Comédia romântica. Tirei o filme e joguei no lixo. Não há pelo que rir, nem pelo que se apaixonar. Existem coisas das quais esnobar, outras tantas pra evoluir. O destino não me concede o tempo necessário para sonhar com o que não tive, apenas com tudo aquilo que poderei ter. Se um dia terei você ao meu lado, sinceramente não sei. Tudo que sei é que dessa vez decidi criar meu próprio filme e nele você estará presente, ora em momentos cômicos, ora em momentos assombrosos, saltando para casos e casos de romances agudos. Basta colocar o enredo no papel o que não será difícil, afinal vivo toda essa instabilidade, histórias das quais não caberiam num simples DVD, mas se encaixariam perfeitamente numa vida a dois.

Então vamos fazer diferente dessa vez,

Irei convida-la novamente…
Você quer ir ao cinema comigo?

Só que dessa vez, vamos migrar para a sessão dos filmes de ação, só por garantia…

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: